28 de Julho, Dia Mundial da Hepatite

28 de Julho, Dia Mundial da Hepatite

TVI | Neste dia em que se assinala o Dia Mundial da Hepatite, uma doença que ainda afeta milhões de pessoas em todo o mundo, tive oportunidade de estar em direto no programa Diário da Manhã da TVI para falar sobre o tema e sobre o Programa Nacional para as Hepatites Virais, o primeiro plano estratégico nacional que vem, no entanto, adiar algumas decisão importantes que deveriam ser tomadas já hoje.

Veja aqui a entrevista a partir do minuto 1:31:40”

“É um documento inócuo, com generalidades e que empurra para o futuro decisões que deviam ser tomadas já hoje”

“É um documento inócuo, com generalidades e que empurra para o futuro decisões que deviam ser tomadas já hoje”

Público | 28 de Julho, Dia Mundial das Hepatites, é marcado pela apresentação do relatório do Programa Nacional para as Hepatites Virais, trata-se do primeiro plano estratégico nacional e nele a DGS declara que “quer aumentar ao ritmo de 33% por ano, até 2020, o número de testes e rastreios para a detecção de hepatites B e C e diminuir em 10%, neste horizonte temporal, a mortalidade associada à infecção crónica por estes vírus”.

Neste relatório é apresentado um ponto de situação do que se vive neste campo em Portugal e definem-se metas para o futuro. Contudo, segundo os próprios responsáveis da DGS o plano conta com várias lacunas, uma vez que, a informação disponível atualmente é ainda “escassa e fragmentada”, segundo Isabel Aldir, diretora do Programa Nacional para as Hepatites Virais este “é o plano possível com a informação que existe no momento, este programa está a nascer”.

Considero que este plano vem adiar decisões importantes e urgentes tratando-se de “um documento inócuo, com generalidades e que empurra para o futuro decisões que deviam ser tomadas já hoje”. Além disso, este plano não contemple uma área fundamental: a prevenção pois, “gastamos milhões de euros no tratamento, mas não estamos a fechar a torneira a novas infecções”.

Ler notícia completa

“Conferência Hepatite C, Pensar o futuro”

“Conferência Hepatite C, Pensar o futuro”

Já está disponível a brochura com os principais highlights da “Conferência Hepatite C, Pensar o Futuro”, organizada pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, que contou com a moderação da jornalista Clara de Sousa num debate entre várias figuras relevantes nesta área.

Além da brochura, estão também disponíveis vários vídeos que resumem os diferentes momentos da reunião como a minha participação num painel com o Luís Mendão do Grupo de Ativistas em Tratamento (GAT) e com um representante do The Economist Intelligence Unit e, ainda, o vídeo de uma entrevista que cedi à organização da Conferência.

Saber mais

Hepatite C: Governo sem rumo

Hepatite C: Governo sem rumo

Público | “Choca-me a leviandade com que os nossos governantes decidem e voltam atrás ao sabor das opiniões públicas. Políticas fracas que mais não são do que espelho de um governo fraco.

A falta de visão de quem nos governa e a ausência de capacidade para reformar o Serviço Nacional de Saúde no caminho de uma redução gradual da carga da doença, seja pela prevenção, seja pelo diagnóstico precoce e a cura, terão consequências desastrosas para todos nós.

Se não mudarmos rapidamente os nossos modelos de gestão, atingiremos um ponto de insustentabilidade tal que a universalidade e gratuitidade constitucionalmente asseguradas serão postas em causa, o acesso aos cuidados prejudicados e a nossa saúde comprometida.”

Ler artigo completo

Relatório: “Road to Elimination: Barriers and Best Practices in Hepatitis C Management”

Relatório: “Road to Elimination: Barriers and Best Practices in Hepatitis C Management”

Tive o privilégio de, juntamente com Jeff Lazarus e Charles Gore, fazer parte da equipa de peritos responsável pela elaboração do mais recente relatório da Boston Consulting Group (BCG) sobre políticas de eliminação da hepatite C.

Este relatório está enquadrado na estratégia global para a eliminação das Hepatites B e C enquanto problema de saúde pública até 2030, lançada pela Organização Mundial de Saúde em Maio de 2016. Esta iniciativa pretende reduzir em 90% a incidência da doença e diminuir em 65% os níveis de mortalidade registados em 2015. Tendo em vista o alcance desta meta global, a delegação europeia da OMS estabeleceu objetivos ambiciosos a atingir até 2020 como, por exemplo, garantir que 50% das pessoas que padecem de hepatite C crónica estão diagnosticadas e conscientes da sua condição e que, pelo menos, 75% dos indivíduos diagnosticados tenham acesso ao tratamento, fazendo da prevenção, tratamento e cuidados de saúde a sua principal prioridade.

Para a elaboração do relatório, entre Novembro de 2016 e Março de 2017, foram analisados 11 países, tendo por base a identificação de casos de sucessos e das barreiras existentes nas seguintes áreas:

  • Consciencialização e prevenção da doença;
  • Exames e diagnóstico;
  • Acesso a cuidados e serviços de saúde qualificados;
  • Acesso ao tratamento;
  • Monotorização e avaliação.

Em todos os países analisados existem barreiras a ultrapassar para a eliminação da Hepatite C, bem como, práticas de sucesso que podem ser adoptadas por outros países que se podem revelar essenciais para o alcance da meta global definida pela OMS até 2030.

Ver relatório completo

Câmara Municipal de Cascais investe na criação de mais Centros de Saúde

Câmara Municipal de Cascais investe na criação de mais Centros de Saúde

Jornal Médico | Com o intuito de, até 2019, dar acesso a toda a população do concelho a um médico de família, a Câmara Municipal de Cascais irá proceder à construção de dois novos centros de saúde e à ampliação de um centro já existente, o que corresponde a um investimento de mais de seis milhões de euros.

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) será responsável por equipar as novas unidades de saúde (material médico e mobiliário) e por alocar os recursos humanos necessários.

Este investimento garantirá ainda a melhoria das instalações para as consultas de psiquiatria de adultos e crianças que, atualmente, são feitas junto ao Largo da Estação de Cascais, assim como uma resolução definitiva para a falta de condições na Parede da DICAD – Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências – para que possam trabalhar com dignidade no apoio a quem mais precisa.

Ler notícia completa

Atlantic Council

Atlantic Council

Após um rigoroso processo de seleção, fui selecionado como Fellow do Atlantic Council, um think tank de relações internacionais sedeado em Washington D.C., EUA.

Cada um dos Fellows nomeados para fazer parte do Millennium Fellowship, torna-se um porta-voz desta rede tanto na sua comunidade local, como a nível global, sendo responsável por manter um discurso político ativo e por, proativamente procurar oportunidades de dar a conhecer a rede, as valências da mesma e as oportunidades únicas que a mesma oferece.

Neste âmbito, participei numa visita de estudo e num programa de liderança promovido durante uma semana na costa leste dos Estados Unidos da América.

Conhecer os outros Fellows

“Aprovados os seis meses do Parlamento da Saúde”

“Aprovados os seis meses do Parlamento da Saúde”

Expresso | No início deste mês de Julho, os 60 membros do Health Parliament Portugal, apoiados pelo Ministro da Saúde e pelo Presidente da República, apresentaram na Assembleia as recomendações finais resultantes do seu trabalho e das 58 propostas desenvolvidas.

Esta iniciativa da responsabilidade do Expresso, Janssen, Microsoft e Universidade Nova de Lisboa, juntou várias pessoas vindas de diferentes áreas com o objetivo de, ao longo de 6 meses, analisar e trazer novas ideias para o sector da saúde português. Os 60 membros dividiram-se em seis comissões e cada uma destas debruçou-se a áreas distintas para fazer um retrato da área, encontrar factos relevantes e produzir moções de ação.

Entre as recomendações desenvolvidas destacam-se as que recaíram sobre as seguintes temáticas: “O Doente no Centro da Tomada de Decisão”, “Barreiras aos Cuidados de Saúde”, “Ética na Saúde”, “Tecnologias de Informação em Saúde”, “Saúde Mental” e “Economia do Conhecimento”.

Ler notícia completa

 

Audição como Membro do Conselho de Fiscalização da Base de Dados de Perfis de ADN

Audição como Membro do Conselho de Fiscalização da Base de Dados de Perfis de ADN

O Conselho de Fiscalização da Base de Dados de Perfis de ADN foi ouvido pela 1ª Comissão da Assembleia da República (Comissão de Direitos, Liberdades e Garantias) no âmbito da apresentação do relatório anual deste conselho.

Tendo terminado o nosso mandato no passado mês de Junho, trata-se do último relatório após 4 anos de trabalho e que procura resumir a nossa atividade. O gráfico abaixo resume o número de perfis inseridos na base de dados ao longo do tempo.

Para compreender a importância, do ponto de vista da investigação criminal, do trabalho desenvolvido pelo Instituto de Medicina Legal de Coimbra – que gere a base de dados – e que fomos acompanhando enquanto Conselho de Fiscalização, destaco dois comentários do nosso relatório:

“1. Até 2013 a Base Dados era praticamente inexistente do ponto de vista do conteúdo e dimensão (veja-se o número de perfis) e virtualmente irrelevante do ponto de vista da investigação criminal (veja-se o número de hits); era grande o desequilíbrio do conteúdo dos ficheiros em favor do ficheiro de condenados.
O ano de 2013 foi decisivo para a afirmação da B. Dados. Foram inseridos 2425 perfis (incluindo 1748 amostras problema vindos do LPC), foi ainda em 2013 que se produziu o primeiro hit entre amostras problema.
Desde aí tem-se assistido a um crescimento contínuo, ainda que lento, e chegamos a 31 de maio de 2017 com um total de 8981 perfis dos quais 2274 são amostras problema.

2. Por outro lado, o número de hits não só tem acompanhado esta tendência, como deu um salto significativo em 2016: entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016 o número de hits entre amostras problema passou de 4 para 144 e entre amostras problema e condenados passou de 10 para 49. Nos primeiros cinco meses de 2017 já se verificaram 14 hits entre amostras problema e 11 entre amostras problema e condenados.”

Foi uma honra pertencer a este conselho de fiscalização como Vogal juntamente com o seu Presidente, Juíz Desembargador António Latas, e Vogal, Dra. Helena Terra, com o inestimável apoio da Dra. Ana Dias.

Consultar relatório completo

Ver vídeo da audição

Prognósticos da Semana

Prognósticos da Semana

ionline.pt | Nos prognósticos desta semana o destaque vai para a eleição de representantes da Assembleia da República para múltiplos órgãos (incluindo o conselho de fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa), o novo aeroporto de Lisboa e os médicos que estão em risco de despedimento.

Ver vídeo