Qual o futuro da saúde?

Qual o futuro da saúde?

Tive o prazer de aceitar o desafio de participar, via vídeo-conferência, no seminário “Educação pelos Pares”, organizado pela ESTeSC-Coimbra Health School, onde um dos temas abordados foi o futuro da saúde.

O projeto “Educação pelos Pares” surgiu em 2009 a partir da necessidade de apoiar os estudantes e facilitar a integração no ensino superior, valorizando a participação activa dos mesmos. Tem como objectivo a promoção do bem-estar e da saúde (física e mental) dos estudantes e a diminuição dos comportamentos de risco.

“World Health Summit”

“World Health Summit”

Recentemente, tive o privilégio de participar no evento “World Health Summit”, que decorreu na cidade de Coimbra, onde foi abordado o tema da Saúde Global.

Foram mais de 1000 participantes, 120 oradores de mais de 40 países, 20 workshops e várias sessões plenárias onde o tema da gestão de doenças infecciosas, ocupou grande destaque. Eu tive a oportunidade de participar na sessão sobre “Lessons learned from HIV pandemic to reach the 90-90-90 goals”.

A conferência Mundial da World Health Summit já está marcada e irá acontecer de 14 a 16 de Outubro, em Berlim.

Parlamento chumba Eutanásia

Parlamento chumba Eutanásia

Os quatro projetos a favor da Eutanásia foram chumbados no passado dia 29 de Maio, no Parlamento.

Em antecipação a este debate, tive a honra de participar num artigo da revista Visão, em conjunto com os demais Deputados que partilham a condição de serem médicos, nomeadamente a Srª Depª Isaura Pedro, o Sr Depº José António Silva e a Sraª Depª Isabel Galriça Neto.

Todos partilhamos a mesma opinião: não estamos de acordo com os quatro projetos (PAN, BE, PS e PEV) para descriminalizar a morte assistida – quer a eutanásia, quer o suicídio assistido, bem como as iniciativas envolvidas.

Como tive o prazer de dizer durante a entrevista, “na versão inicial, o Juramento de Hipócrates tinha uma frase que dizia que o médico não provocaria a morte do seu doente, mesmo que instado a tal e que essas palavras não tinham nada de religioso ou ideológico. Era uma razão muito pragmática porque o sofrimento era tal que, à época, a tentação seria matar aquela pessoa para lhe aliviar o sofrimento. Os médicos devem querer é que as pessoas possam viver com dignidade até ao final da sua vida”.

Posto isto, continuo a lamentar que se fale tanto da dignidade da morte e que se esqueça aquilo que designa por medidas para a dignidade da vida, com o acento tónico nos cuidados domiciliários, na definição de um estatuto do cuidado informal, nos apoios sociais públicos e ainda dos cuidados paliativos.

Faço votos para que este debate não termine aqui e que o Estado (finalmente) assuma o alívio do sofrimento e a promoção do bem estar e da saúde como prioridades absolutas da sua ação.

Leia o artigo completo aqui

#PARAvencerEM

#PARAvencerEM

Para assinalar o Dia Mundial da Esclerose Múltipla (E.M.), que terá lugar o próximo dia 30 de maio, a comunidade científica e as associações de doentes e familiares desafiaram personalidades políticas e decisoras a participar na iniciativa #PARAvencerEM.

Esta campanha pretende fazer com que a pessoa que vive com esta doença esteja no centro das decisões, assumindo um papel mais ativo na gestão da sua doença.

A E.M. afeta mais de 8.000 pessoas em Portugal (Gisela Kobelt, 2009) e cerca de 2.500.000 pessoas em todo o mundo (dados da Organização Mundial de Saúde) e atinge, sobretudo, os jovens.

Eu tive o prazer de ser uma das 14 pessoas que participaram e, tal como diz a campanha, dei 1 minuto pela E.M., como pode ver no vídeo.

“Os Portugueses não querem a Eutanásia”

“Os Portugueses não querem a Eutanásia”

No dia 24 de Maio decorreu uma manifestação sobre a Eutanásia, no Largo de São Bento, em frente à Assembleia da República, organizada pelo grupo “STOP Eutanásia”.

Uma manifestação aberta a todos, cujo objectivo foi sensibilizar os deputados acerca da questão da Eutanásia.

Foi uma óptima oportunidade para ouvir, mas também, fazer-se ouvir e não deixar que sejam os outros a decidir por si.

E não se esqueça: o direito à vida é um direito universal!

Debate na Assembleia Mundial da Saúde

Debate na Assembleia Mundial da Saúde

Tive a honra de participar num debate na Assembleia Mundial da Saúde, onde o tema central foi o acesso universal aos cuidados de saúde, com o objetivo de garantir que as doenças infecciosas continuam na agenda global.

Como fundador e Presidente da UNITE, cuja missão é eliminar as doenças infecciosas, continuarei a fazer de tudo para ajudar a combater este problema.

“World Hepatitis Alliance Global Stakeholder Meeting”

“World Hepatitis Alliance Global Stakeholder Meeting”

Recentemente, tive o privilégio de participar no “World Hepatitis Alliance Global Stakeholder Meeting”, em Londres. Uma reunião onde o foco foram os vírus de hepatite B e C e o facto de milhões de pessoas em todo o mundo não estarem diagnosticadas.

O grande objetivo da reunião foi pensar na forma de eliminar as barreiras ao diagnóstico. E foi para combater esta lacuna que a World Hepatitis Alliance criou o projeto “Find the Missing Millions”, que entrou em vigor este ano. Esta iniciativa pretende apoiar as pessoas cujo diagnóstico ainda não foi feito e ajudá-las na superação dos obstáculos que poderão encontrar.

Atualidade da saúde debatida na Assembleia da República

Atualidade da saúde debatida na Assembleia da República

Recentemente, tive a honra de participar num debate com o Ministro da Saúde na Assembleia da República, onde falei sobre a atualidade da saúde, nomeadamente, o facto de, nos últimos anos, ter havido uma degradação acentuada da maioria dos indicadores no setor com o desgaste dos profissionais e a degradação da qualidade dos serviços prestados aos Portugueses.

Ver vídeo

Reunião no Hospital Amadora-Sintra

Reunião no Hospital Amadora-Sintra

No dia 14 de maio, tive o prazer de me reunir com o Presidente do Conselho de Administração do Hospital Amadora-Sintra, juntamente com as deputadas de Lisboa, Ana Sofia Bettencourt e Joana Barata Lopes e a presidente do PSD Concelhia Sintra, Ana Isabel Pacheco Valente.

Depois de reunir, podemos confirmar a falta de planeamento e articulação entre as entidades competentes na resposta a dar a todos os utentes de cuidados de saúde no Concelho de Sintra.

Gostaria, ainda, de destacar a sub-dimensão do Serviço de Urgência e a carência de médicos especialistas e enfermeiros no hospital. Pelo que nos conseguiram dizer, faltam cerca de 200 médicos especialistas e 300 enfermeiros.

O PSD vai continuar a questionar o Governo.

Canábis Medicinal: Riscos e Benefícios

Canábis Medicinal: Riscos e Benefícios

Recentemente, tive o prazer de participar no debate “Canábis Medicinal: Riscos e Benefícios”, na Ordem dos Médicos (Região Sul).

É um tema sobre o qual sempre tive fortes reservas… O que posso dizer é que o consumo de grandes quantidades, está associado a um maior risco de surtos psicóticos e quadros de esquizofrenia, sobretudo, se consumidos numa idade muito precoce.

O debate contou com inúmeras presenças reconhecidas na área da saúde. Dulce Salzedas, jornalista da SIC foi a moderadora e o encerramento ficou a cargo do Bastonário da Ordem dos Médicos, Dr. Miguel Guimarães.

Saber mais