Combate ao VIH/SIDA

Combate ao VIH/SIDA

Tive a honra de participar na sessão do AIDS, “Implementing the SDG agenda to leave no one behind: Innovations in Europe on the fast track to ending AIDS”, onde expus a liderança política de Portugal no combate ao VIH/SIDA e apresentei a ‘UNITE’, a recém-criada rede global de parlamentares comprometidos em acabar com o VIH/SIDA, hepatites virais e outras doenças infeciosas até 2030 e em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

A partir do momento em que Portugal descriminalizou o consumo de drogas e implementou medidas de redução de danos (programa de troca de seringas, distribuição de preservativos ou programas de baixo limiar de metadona), foi possível reduzir drasticamente o número de novas infeções por VIH por ano.

Portugal tem mantido um padrão de evolução positiva. E, mesmo durante a crise financeira, que conduziu à intervenção da “troika”, foi possível implementar medidas de test and treat, tendo sido o quarto país da Europa a adotar esta medida.

Juntos podemos acabar com estas epidemias até 2030. Já temos a ciência, já temos a tecnologia, agora precisamos de determinação política, para que os parlamentares possam liderar este caminho, de modo a conseguirmos alcançar, até 2030, os objetivos de desenvolvimento sustentável.

Veja a entrevista da News Farma aqui

“Edição da Manhã”, SIC

“Edição da Manhã”, SIC

No passado dia 20 de Julho, tive o prazer de participar numa agradável conversa na “Edição da Manhã”, da SIC, sobre a hepatite c e o modelo “Let’s End HepC”.

Portugal tem tido um grande avanço em relação a esta doença que surgiu há quase 30 anos e cuja cura foi descoberta em 2014/15. O nosso país foi um dos primeiros a permitir o acesso universal ao tratamento.

Já temos a cura… O que falta então para eliminar de uma vez por todas esta doença? É preciso olhar para as políticas: prevenção, diagnóstico, acesso ao tratamento e perceber o que falta, pois de acordo com as políticas actuais de Portugal, ainda não estamos a fazer o suficiente para eliminar a hepatite c até 2030.

Na Universidade Católica desenvolvemos a plataforma “Let’s End HepC” – um modelo matemático capaz de avaliar o impacto real das políticas de saúde pública, a nível mundial, na eliminação da hepatite c.

Em Portugal, cerca de 10 mil pessoas já foram curadas e mais 10 mil já foram diagnosticadas (encontrando-se em tratamento ou à espera do mesmo). De acordo com as estimativas, ainda nos faltam diagnosticar entre 30 a 50 mil pessoas que vivem infetadas pelo vírus da hepatite c sem o saber. Urge testar e diagnosticar.

Sabemos o que tem de ser feito para eliminar a hepatite c. Vamos a isso!

Veja a entrevista completa aqui

8º Encontro Nacional da Clínica de Ambulatório VIH

8º Encontro Nacional da Clínica de Ambulatório VIH

Tive a oportunidade de participar no 8º Encontro Nacional da Clínica de Ambulatório VIH, no Porto.

A importância do movimento das Fast-track Cities no combate ao VIH/SIDA foi o enfoque da intervenção do Bertrand Audoin no encontro organizado pelo Professor António Sarmento.

Moderados pelo Dr. Kamal Mansinho, eu e o Dr. Manuel Pizarro, tivemos a oportunidade de falar sobre a importância de prosseguirmos esforços no sentido da eliminação da SIDA e das hepatites virais como ameaças de saúde pública e enaltecemos o facto de Cascais, Lisboa e Porto já se encontrarem nesta via rápida.

Infarmed: Audição do Ministro da Saúde

Infarmed: Audição do Ministro da Saúde

Nesta audição ficou claro que o Governo anunciou a deslocalização do Infarmed e só depois começou a estudar os impactos da decisão.

O Ministro da Saúde assumiu que a deslocalização não ocorrerá de todo no dia 1 de Janeiro de 2019 e continua sem anunciar qual o futuro da agência reguladora do medicamento.

Assista à audição completa aqui

“Como Mudar o Mundo”

“Como Mudar o Mundo”

Foi com um enorme prazer que recebi o convite da aTTitude para, em conjunto com a Raquel Baptista Leite, falarmos e aprendermos sobre “Como Mudar o Mundo”.

Uma turma inspiradora liderada pelo Professor Paulo Torcato na Escola 2+3 da Portela, que usa a robótica e a programação de código para ajudar alunos com dificuldades de rendimento escolar a superarem desafios, hoje e amanhã.

Debate sobre o Estado da Nação

Debate sobre o Estado da Nação

O debate sobre o Estado da Nação, com a presença do Primeiro-Ministro, decorreu no passado dia 13 de Julho, no Parlamento.

No debate, Fernando Negrão recorreu a vários exemplos – professores, regresso de 35 horas na função pública, serviços da saúde, vítimas de Pedrógão Grande e da região centro e aumento de precários no Estado – para lançar uma pergunta sucessiva: “Se isto não é um Governo esgotado, então o que é?”.

 

Veja o vídeo aqui

“Oncologia: Promessas e Realidades”

“Oncologia: Promessas e Realidades”

Tive a honra de, no passado dia 7 de Julho, participar num interessante debate sobre as “Promessas e Realidades” da Oncologia em Portugal, na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Agradeço o convite da Ema Paulino para comentar as apresentações do Dr. Nuno Miranda, coordenador Nacional das Doenças Oncológicas da Direção-Geral da Saúde e do Dr. João Oliveira, Diretor Clínico do IPO Lisboa.

O evento, organizado pela Ordem dos Farmacêuticos, contou com uma abertura inspiradora da Senhora Bastonária Ana Paula Martins.

O país perdeu, recentemente, um homem de exceção

O país perdeu, recentemente, um homem de exceção

Muitos destacam o músico. Eu retenho o médico e mestre que no Hospital Egas Moniz me ensinou tudo quanto sei sobre mecanismos de resistência dos anti-retrovíricos e que me introduziu naquilo que hoje chamamos de medicina de precisão no campo do VIH/SIDA.

Acima de tudo, Ricardo Camacho, sempre nos transmitiu que podemos ser melhores do que somos em cada momento e que nunca nos devemos conformar perante injustiças.

Obrigado Dr. Ricardo.

Documento de transferência do Infarmed

Documento de transferência do Infarmed

A entrevista ao Prof. Henrique Luz Rodrigues confirma que o Ministro da Saúde, apesar das múltiplas insistências da Assembleia da República, enviou aos Deputados uma versão incompleta do relatório e muito depois de o ter recebido.

Nas palavras do coordenador do grupo de trabalho, Professor Henrique Luz Rodrigues, faltou “transparência e equidade” no envio do relatório, acrescentando que “o gabinete do ministro não enviou o documento aos deputados a tempo de se prepararem para a audição [no Parlamento] e a versão que receberam estava incompleta”.

Afirmou, também, ter enviado o documento completo e em tempo útil ao conselho directivo da Autoridade do Medicamento — Infarmed e aos trabalhadores.

Agora resta ao Ministro da Saúde pedir desculpa. Não a mim. À Assembleia da República.

Leia a notícia aqui

Audição sobre deslocalização do Infarmed

Audição sobre deslocalização do Infarmed

Decorreu na Assembleia da República a audição da comissão nomeada pelo Governo para estudar a transferência do Infarmed I.P. para o Porto.

A audição contou, também, com o Professor Henrique Luz Rodrigues, coordenador do grupo de trabalho.

Veja o vídeo aqui