A Reação Pós-audição ao Ministro das Finanças

Após a audição, de 11 de Abril, convocada pelo PSD e CDS ao Ministro da Finanças para discutir a situação precária em que se encontra o Serviço Nacional de Saúde, em que questionei Mário Centeno sobre os constantes cortes feitos nesta área vital para todos os portugueses, concluo que depois de quase 2 anos de governação, o Partido Socialista não tem a saúde como prioridade.

O Ministro da Saúde está refém das Finanças e o Primeiro Ministro, António Costa, não tem a saúde como prioridade da ação governativa e isso está visível na gestão do orçamento, nos últimos 20 anos, nunca se gastou tão pouco em saúde face ao PIB nacional, como aquilo que gastamos hoje.

Iremos agora confrontar o Ministro da Saúde, que chamamos agora ao Parlamento, para falar precisamente sobre estas matérias e sobre o constante desinvestimento que o Partido Socialista tem feito na saúde.

Exigem-se respostas e, acima de tudo, exigem-se mundanças!