SNS in black

SNS in black

Depois das negociações sobre o Orçamento de Estado até ao último minuto, a saúde sai – mais uma vez – como parente pobre deste Governo. Confesso que estou chocado.

Um aumento residual de 0,1% do PIB para o Serviço Nacional de Saúde – abaixo do crescimento do país e muito abaixo da média da OCDE. Mais grave é a ausência absoluta de estratégia para as grandes reformas necessárias para melhorarmos os indicadores de saúde e assegurarmos a sustentabilidade das respostas do Estado. A prevenção é esquecida, os problemas graves dos profissionais ignorados e os doentes claramente não estão no centro do pensamento deste Governo.

O Partido Socialista, o Partido Comunista Português e o Bloco de Esquerda que se autoproclamam defensores da saúde arriscam-se a ficar na história como os coveiros do SNS.

A luta continua.

Saber mais

PSD questiona Governo sobre dívida à ADSE

PSD questiona Governo sobre dívida à ADSE

A pergunta é simples mas critica: Qual o valor das cativações feitas pelo Estado desde que a ADSE é financiada apenas com os descontos dos beneficiários? Aguardamos resposta.

 

Ler notícia completa

UNITE na Capa da Revista SIDA

UNITE na Capa da Revista SIDA

A UNITE é cada da última edição da revista SIDA, uma publicação bimestral e a única publicação regular a abordar este tema em Portugal, dirigida e distribuída gratuitamente para todos os profissionais que,  direta ou indiretamente, estão envolvidos nesta temática.

Em 2017, tive o privilégio de fundar a UNITE com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) através da UNAIDS. Ambas as iniciativas têm como principal objetivo unir parlamentares de todo o mundo para dar uma resposta coordenada e eficaz na eliminação do VIH/SIDA, hepatites virais e outras doenças infecciosas, até 2030 e em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que definem as prioridades e desejos globais a cumprir até essa data.

Leia abaixo artigo e fique a conhecer melhor a nossa ONGD, que já conta com 50 membros, de 32 países e 5 continentes e está numa fase de consolidação e crescimento.

 

Saiba mais sobre a ‘UNITE – Global Parliamentarians Network to End HIV/AIDS, viral hepatitis and other infectious diseases’.

Parlamentares lutam contra a SIDA

Parlamentares lutam contra a SIDA

No último dia do congresso internacional AIDS 2018 em Amesterdão foi um privilégio ter participado no painel “Parliamentarians leading the fight against AIDS”, moderado por Sua Alteza Real Princesa da Holanda Mabel van Oranje.

Participaram na sessão a Congressista norte-americana Barbara Lee, Deputado Stephen Doughty do Reino Unido, Deputada Isabelle Diks da Holanda e Deputada Ruth Labode do Zimbabwe.

Assista à sessão aqui

Legalização de canábis

Legalização de canábis

Tive o prazer de dar uma entrevista ao Fumaça e ao Hemiciclo sobre o futuro da regulamentação do uso de canábis em Portugal depois da aprovação da moção apresentada no último congresso nacional do Partido Social Democrata.

Uma entrevista onde falo abertamente do que me fez mudar de opinião em relação à utilização de canábis para fins terapêuticos.

Veja a entrevista completa aqui

“É possível eliminar a Hepatite C entre 2024 e 2025”

“É possível eliminar a Hepatite C entre 2024 e 2025”

No âmbito do Dia Mundial das Hepatites, tive a oportunidade de dar uma entrevista à “Saúde Online”, onde falei sobre o modelo “Let’s End HepC” e o impacto real das políticas de saúde pública na eliminação da Hepatite C.

Falámos sobre a importância de atingir a meta que a OMS propõe que seja atingida até 2030, da necessidade de prevenção e sensibilização sobre a hepatite c e do diagnóstico precoce, bem como do tratamento.

Se quisermos, com as políticas certas, podemos eliminar a hepatite c de Portugal em 5 anos.

Leia a entrevista completa aqui

Combate ao VIH/SIDA

Combate ao VIH/SIDA

Tive a honra de participar na sessão do AIDS, “Implementing the SDG agenda to leave no one behind: Innovations in Europe on the fast track to ending AIDS”, onde expus a liderança política de Portugal no combate ao VIH/SIDA e apresentei a ‘UNITE’, a recém-criada rede global de parlamentares comprometidos em acabar com o VIH/SIDA, hepatites virais e outras doenças infeciosas até 2030 e em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

A partir do momento em que Portugal descriminalizou o consumo de drogas e implementou medidas de redução de danos (programa de troca de seringas, distribuição de preservativos ou programas de baixo limiar de metadona), foi possível reduzir drasticamente o número de novas infeções por VIH por ano.

Portugal tem mantido um padrão de evolução positiva. E, mesmo durante a crise financeira, que conduziu à intervenção da “troika”, foi possível implementar medidas de test and treat, tendo sido o quarto país da Europa a adotar esta medida.

Juntos podemos acabar com estas epidemias até 2030. Já temos a ciência, já temos a tecnologia, agora precisamos de determinação política, para que os parlamentares possam liderar este caminho, de modo a conseguirmos alcançar, até 2030, os objetivos de desenvolvimento sustentável.

Veja a entrevista da News Farma aqui

“Edição da Manhã”, SIC

“Edição da Manhã”, SIC

No passado dia 20 de Julho, tive o prazer de participar numa agradável conversa na “Edição da Manhã”, da SIC, sobre a hepatite c e o modelo “Let’s End HepC”.

Portugal tem tido um grande avanço em relação a esta doença que surgiu há quase 30 anos e cuja cura foi descoberta em 2014/15. O nosso país foi um dos primeiros a permitir o acesso universal ao tratamento.

Já temos a cura… O que falta então para eliminar de uma vez por todas esta doença? É preciso olhar para as políticas: prevenção, diagnóstico, acesso ao tratamento e perceber o que falta, pois de acordo com as políticas actuais de Portugal, ainda não estamos a fazer o suficiente para eliminar a hepatite c até 2030.

Na Universidade Católica desenvolvemos a plataforma “Let’s End HepC” – um modelo matemático capaz de avaliar o impacto real das políticas de saúde pública, a nível mundial, na eliminação da hepatite c.

Em Portugal, cerca de 10 mil pessoas já foram curadas e mais 10 mil já foram diagnosticadas (encontrando-se em tratamento ou à espera do mesmo). De acordo com as estimativas, ainda nos faltam diagnosticar entre 30 a 50 mil pessoas que vivem infetadas pelo vírus da hepatite c sem o saber. Urge testar e diagnosticar.

Sabemos o que tem de ser feito para eliminar a hepatite c. Vamos a isso!

Veja a entrevista completa aqui

8º Encontro Nacional da Clínica de Ambulatório VIH

8º Encontro Nacional da Clínica de Ambulatório VIH

Tive a oportunidade de participar no 8º Encontro Nacional da Clínica de Ambulatório VIH, no Porto.

A importância do movimento das Fast-track Cities no combate ao VIH/SIDA foi o enfoque da intervenção do Bertrand Audoin no encontro organizado pelo Professor António Sarmento.

Moderados pelo Dr. Kamal Mansinho, eu e o Dr. Manuel Pizarro, tivemos a oportunidade de falar sobre a importância de prosseguirmos esforços no sentido da eliminação da SIDA e das hepatites virais como ameaças de saúde pública e enaltecemos o facto de Cascais, Lisboa e Porto já se encontrarem nesta via rápida.

“Oncologia: Promessas e Realidades”

“Oncologia: Promessas e Realidades”

Tive a honra de, no passado dia 7 de Julho, participar num interessante debate sobre as “Promessas e Realidades” da Oncologia em Portugal, na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Agradeço o convite da Ema Paulino para comentar as apresentações do Dr. Nuno Miranda, coordenador Nacional das Doenças Oncológicas da Direção-Geral da Saúde e do Dr. João Oliveira, Diretor Clínico do IPO Lisboa.

O evento, organizado pela Ordem dos Farmacêuticos, contou com uma abertura inspiradora da Senhora Bastonária Ana Paula Martins.