SNS in black

Depois das negociações sobre o Orçamento de Estado até ao último minuto, a saúde sai – mais uma vez – como parente pobre deste Governo. Confesso que estou chocado.

Um aumento residual de 0,1% do PIB para o Serviço Nacional de Saúde – abaixo do crescimento do país e muito abaixo da média da OCDE. Mais grave é a ausência absoluta de estratégia para as grandes reformas necessárias para melhorarmos os indicadores de saúde e assegurarmos a sustentabilidade das respostas do Estado. A prevenção é esquecida, os problemas graves dos profissionais ignorados e os doentes claramente não estão no centro do pensamento deste Governo.

O Partido Socialista, o Partido Comunista Português e o Bloco de Esquerda que se autoproclamam defensores da saúde arriscam-se a ficar na história como os coveiros do SNS.

A luta continua.

Saber mais