Audição ao Conselho Geral e de Supervisão da ADSE

Audição ao Conselho Geral e de Supervisão da ADSE

A última Audição ao Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, presidido pelo Eng. João Proença, aconteceu no dia 27 de Setembro, na qual ficaram bem patentes graves problemas de sustentabilidade e de gestão.

Na audição ficaram as denúncias de cativações mensais pelo Ministério das Finanças ao dinheiro pago pelos beneficiários e ficou também a indicação de que as negociações em curso – que assegurarão o acesso aos serviços de saúde – devem terminar até ao final do ano. Aguardemos.

Ver Audição Completa

PSD questiona se cativações permitem funcionamento da Entidade Reguladora da Saúde

PSD questiona se cativações permitem funcionamento da Entidade Reguladora da Saúde

O Partido Social Democrata (PSD) denuncia as cativações feitas pelo Governo num requerimento dirigido ao Conselho Diretivo da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) e entregou-o no Parlamento no passado dia 11 de Junho. A presidente da ERS assume incapacidade de cumprir a sua missão regulamentar com tantas restrições. Aguardamos resposta.

O PSD exigiu conhecer o montante exato das cativações efectuadas pelo Governo à ERS este ano, e questionou se as mesmas permitem que este organismo continue a prosseguir adequadamente as suas atribuições.

“Não só em 2017 o Governo impôs à ERS cativações num montante superior a 1.370 milhões de euros, como, só no primeiro semestre deste ano, o montante cativado ultrapassa já os 761 mil euros, antecipando-se que a este valor estejam já a acrescer ainda mais cativações”, pode ler-se no requerimento assinado por mim e pelos deputados Adão Silva e  Luís Vales.

Como é que o governo lida com o único organismo independente responsável por assegurar a qualidade dos serviços prestados nos sistema de saúde? Cativando e cortando no orçamento ao ponto de não conseguirem pagar ordenados nem cumprir com a sua função.

É incompreensível e inaceitável e espera-se que o governo corrija a situação antes da ida do Ministro da Saúde ao parlamento no próximo dia 20 de Junho. É uma situação incompreensível e inaceitável.

 Leia o artigo completo aqui